Aniversário de 11 anos do Blog, Oficina de Abayomi e Curso de Maquiagem

terça-feira, 10 de julho de 2018

Oie, pessoal! Como estão?
Espero que bem! Eu estou levando na medida do possível. Não que esteja ruim, mas que está difícil está.
Tô na fase de recém-formada, como já é sabido e jogando currículo para tudo quanto é lado. Bem, tem pouco mais de seis meses e tá brabo. Não sei se a crise já passou de vez ou ainda tem uns vestígios dela ainda por ai.
Sempre me pego perguntando a mim mesma: Será que meu currículo é ruim ou a situação tá tensa mesmo? A gente sempre recai também sob aquele ditado: Querem pessoas com experiência, mas ninguém dá a primeira para você poder ter experiência. E fica nesse ciclo!
Ainda bem que eu não estou totalmente zerada nesse quesito. Já fiz alguns estágios, então tenho experiência, mesmo que bem pouquinha! Melhor do que nada não é mesmo?
Enfim, a gente vai levando. Continuo a procura! Ganbatte nee!
Acabando a sessão desabafo, vou contar um pouco de como foram meus últimos dias, já que dessa vez voltei num intervalo aceitável.
Teve o sarau mensal das Mulheres Reais, que acabei indo gravar e perdi o celular que usava para fazer os vídeos do canal. Eu fiquei tão chateada, mas foi porque sai correndo e estava toda enrolada. Só com Anelise essas coisas!
Eis que no sarau fui convidada para a Oficina de Abayomi, onde aprendi a fazer as bonecas que carregam toda a ancestralidade e história da cultura negra. Era bonecas que as escravas faziam para acalmar as crianças dentro dos navios negreiros. Era uma forma que elas tinham para acalmá-los e acalentar o seu próprio coração. E provavelmente, eles seriam separados e essa boneca seria uma lembrança e união entre eles. Eu não sei tanto assim da história deste objeto para contar melhor.
Mas foi maravilhoso escutar sobre isso e ter uma experiência de autoperdão durante a meditação. Não é tão complicado confeccionar as bonecas, mas essa simplicidade que é a maior beleza delas!
Usamos retalhos de pano, que na maioria das vezes iriam para o lixo.
Depois tivemos o ritual de queimar as partes que mesmo assim não puderam ser usadas por serem muito pequenas, como um forma de agradecimento por tudo.



E nessa última semana também fui ao cinema assistir Os Incríveis 2 com o Kareshi.
Gente, a espera de 14 anos valeu a pena. A história continuou de onde tinha parado e nossa foi tão legal, tão divertido. Eu já gostava do Zézé e gosto dele mais ainda. Acho que gosto mais ainda de todos os personagens. Sai do cinema querendo ver o filme de novo.
Fomos ver através de um cortesia que ganhamos após responder um pesquisa do site do cinema. Foi meio longe que a gente teve que ir, mas não impossível. Valeu a pena!
Uma pena que a cabeçuda aqui que vos fala não tirou uma foto. ahah Ou será que eu sei aproveitar as coisas sem sentir necessidade de compartilhar na internet? Fica o questionamento.
E hoje, fui fazer um Curso de Maquiagem lá na Natura. (Alias, eu fiz mais um outro nesse meio tempo, de relacionamento com clientes.)
Falou um pouco sobre a parte de vendas, que sempre tem nesses cursos. Mas, claro que teve a parte para a gente se maquiar e eu sai de lá bem "Liberte a DIVA em você". Naquele calor de Bangu e eu com sombra preta e batom laranja. Porque sou dessas!
O curso foi bem legal e aprendi bastante coisa de preparação de pele, de como ver a cor certa de base e como fazer delineado. Essas coisas!
Dessa tem fotinha. Pelo menos com a moça que deu o curso. E eu por fim, em casa, na sessão de fotos que fiz para aproveitar a make babadeira. haha


A vida tem seguido normalmente, comigo sempre fazendo as coisas dos blogs, dos livros.
Atualizei o DEA duas vezes nesse meio tempo. Só não tomei vergonha cara de terminar o livro. Eu vou precisar pegar um dia que nem louca e reler tudo para saber onde foi que eu parei. Eu já estou naquelas partes de fechamento do livro, não acontece nada de tão grandioso além da própria conclusão da história.
Mas, quem quiser ler os capítulos novos, só entrar lá no Contos Anê Blog.
E lá também postei o conto novo que falei no último post: A Dama e o Forasteiro.
Fora isso, não estou escrevendo mais nada.
Bem, agora indo a parte importante dessa postagem e o motivo de eu estar vindo aqui especialmente hoje. É mais um aniversário do Garota Zodíaco! O Décimo primeiro!
Parece mesmo que foi ontem que eu fiz este blog e passou voando o tempo enquanto eu postava nele.
Como já devo ter dito diversas vezes em posts anteriores ao longo desses 11 anos, não é mais uma forma que as pessoas fazem blog atualmente. Antes, eram mesmo diários virtuais. Atualmente que existem os blog de literatura, de cultura geek. Eu inclusive tenho um, que falo bastante aqui, o Ane-chan's Shizen?. Eu só não consigo me desligar dessa forma de postar aqui. Eu gosto mesmo de fazer daqui o meu diário. É meu diário!
Acho que foi só por isso que o blog está aqui até hoje. É um lugar onde conto e guardo os acontecimentos da minha vida, onde desabafo, falo um pouco mais sobre mim, falo sobre meus livros. Esse blog viu muitas coisas da minha vida começarem, a exemplo maior todos os meus livros praticamente. Com exceção de As Super Agentes, que é de 2004, o resto é de 2008 para frente e a esta altura o GZ já tava aqui.
Enfim, este blog é outro filho meu e que já tá bem grandinho! E tenho muito orgulho dele. (Ou seria de mim que mantém um blog há 11 anos?)
Mesmo que eu não receba tantas visitas - já que ninguém tem saco para ler a quantidade de besteira que eu escrevo aqui -, eu continuo aqui, por todos os motivos que já citei acima. É meu lugar, meu espaço, meu amado GZ! E sempre será assim!
Mudei um pouco o método de postagem para ser mais dinâmico e tem sido melhor para escrever ara cá, mesmo que nesses últimos meses eu tenha sumido um pouco. Mas, eu vou voltar. Não desistam de mim!
E como em todos os anos, inauguramos um novo ciclo, com a mudança do layout do blog (do header só) e dessa vez uma logo novinha, feita por mim. Admito ter feito em cima da hora, mas ainda estou orgulho. Mudando os ares e para melhor sempre!
No mais só quero dizer: Parabéns, GZ! Obrigada por fazer a minha vida mais completa!
É isso, povo! Temos nossa placa tradicional de aniversário.
Beijos 1000!


Viagem a Paraty, Dia dos namorados + aniversário de namoro, Escritora com bloqueio eterno

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Oie, genteney! Como vão?
A quase sumida está de volta. Dessa vez, eu lembrei de vocês. Mas, infelizmente vai ser apenas um post este mês também. Até porque o aniversário de 11 anos - pasmem - do blog está chegando.
Não sei se conseguirei mudar o layout todo do blog, provavelmente não, então vou só trocar o topo mesmo e é isso ai. Você não vão me odiar por isso né?
Lembram que eu falei no post passado sobre a viagem e que eu ia contar como foi?
Enfim, fomos a Paraty novamente. Ficamos numa casa também, igual no carnaval, mas essa era mais próxima de uma praia. Dez minutos andando e a gente estava lá!
Viajamos praticamente em família. Meus pais, meu irmão, minha avó materna, um tia e uma tia por parte de pai. A casa era grande e abrigava todo mundo.
O mais legal mesmo era que a casa era feita em volta de uma pedra. Sim, no meio da sala tinha a pedra. Isso é o Carlos Drummond elevado a outro nível. ahha (Quem entendeu, entendeu.
Aproveitamos uns quatro dias ali na casa, indo passear na cidade, indo a outras praias. Essas coisas!
Foi uma viagem para relaxar. E conhecemos um novo lugar por lá: Trindade. Um local com praia lindas!
Demos um voltinha na cidade histórica durante a noite. E claro que comemos no Sorvete Finlandês, que é a melhor coisa do mundo!
E dessa vez aproveitei a viagem mesmo, porque eu tenho poucas fotos. Nem quis levar celular para poder ficar em paz. Tirei mais foto da casa mesmo e ela é linda sim! E foto de planta e concha. Deve ter foto no celular da minha mãe.



E na última semana foi o dia dos namorados. Mas, como caiu numa terça-feira e fiz exame na quarta, sai com o namorado na quinta. Fomos passear no shopping, bem besta mesmo, fomos ao cinema para ver Guerra Infinita. Depois comemos no rodízio lá no shopping mesmo. O bom é poder passar um tempo com ele, só a gente mesmo, fora da rotina.
Como tanto tempo de relacionamento, acabamos caindo numa rotina de só ficar sentados no sofá vendo filme e série. Até porque tem época que a grana é curta mesmo!
Poder sair para fazer um programa desse, até bobo e que a gente fazia no início do namoro é tão bom. Sair um pouco de casa, poder ficar só conversando e rindo.
Alias, esse passeio também foi comemoração do nosso 9º aniversário de namoro. Gente, é muito tempo, eu sei! O dia oficialmente é 17, mas aproveitamos e fizemos um combo. Só não trocamos os presentes ainda!
E bem, tiramos uma fotenha quando ele me deixou em casa, porque esquecemos o dia todo. ahah
Parabéns para nós, mozinho! S2 

E você perceberam que eu falei "fui fazer exame na quarta"? Pois é!
Eu vou tratar de vez essa bendita queda de cabelo que eu tenho, que sempre vai e volta.
E tinha que fazer biopsia do couro cabeludo, ou seja, eu tive que tirar um pedaço dele. Fui bem longe para isso. Tirar em si não doeu, porque teve anestesia. Mas depois que acabou o efeito que doeu e como a minha testa ficou inchada. E eu não fazia ideia de como eu mexei meu rosto, porque tudo doía depois. Agora só dói mesmo quando eu mexo porque eu preciso limpar e passar o antibiótico. Mas, fora isso é bem tranquilo. É simples de cuidar!
O problema que a moça pegou um pedaço bem na parte da frente do cabelo. Que bom que meu cabelo tá na fase de ficar de lado já e eu posso esconder os pontos com ele.
Não vou colocar foto, porque deve ter gente que é sensível!
Mudando de assunto e indo para os meus extras de vida de escritora. haha
Eu quero muito conseguir sair desse bloqueio eterno. Especialmente com o DEA, que está a míseros dois capítulos de ser terminado e eu não consigo escrever. Eu não consigo parar para terminar o livro.
Eu só estou conseguindo fazer as postagem dos blogs mesmo, porque escrever outra coisa está complicado. Estou num momento ruim mesmo.
Vou tentar curar minha ressaca de escrever com o conto novo para o Café com Letra, que é sobre Romance Histórico. Farei inspirado no Prince of Lan Ling e em outros doramas que já vi. Desejem-me sorte. O nome é: A Dama e o Forasteiro.
Olha a foto de capa ai!


E com isso espero me curar e poder terminar o DEA finalmente.
Sem muito mais o que contar, vou ficando por aqui.
Beijos 1000!

Sarau Mulheres Reais, A busca do emprego, Vida de autora

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Olá, pessoas! Tudo bem? Eu espero que sim!
Mais uma vez vindo aqui quando a postagem anterior está fazendo aniversário. Prometo mesmo, dessa vez para valer, aparece aqui na quantidade de vezes considerada normal.
Eu estou vindo aqui, em cima do laço do mês, como mala para arrumar, para fazer um resumão do que aconteceu nesse tempão que eu fiquei sem aparecer por aqui.
Enfim, pouco depois de ter postado aqui, teve o sarau mensal das Mulheres Reais, que estou participando desde Janeiro. Costuma ser na Biblioteca Pública de Bangu, mas por virtude do feriado (pasmem, do final de abril), o sararu foi realizado no Espaço Jade, que é tipo cinco minutos da minha casa.
Enfim, foi um sarau diferente e especial, porque além da poesia, música e dança, também tinha uma pequena feira de artesanato, com artigos bem legais, pena que estava sem dinheiro para comprar. Sério, eu tô namorando uma fadinha que eu vi até hoje. (Até porque fui a Visconde de Mauá/Maringá duas vezes e não levei as de lá, uma do lado de casa é tentação demais.)
E sabe quem também estava lá naquele dia? Sim, antigos colegas meus de estágio. Eles foram lá para gravar o sarau e entrevistar o pessoal. Só fui falar com eles mesmo quando estavam quase indo embora, não quis atrapalhar a gravação.
Eu gostei muito do espaço e claro, vou visitar lá mais vezes, é bem pertinho de casa.
Tem fotos, olha só!
 


E tem, Maio passou voando, então na última segunda teve novamente o Sarau, mas no local original que é a Biblioteca lá de Bangu. Admito que nem sabia haver uma biblioteca em Bangu, assim como muita gente não sabe. E é bem legal que seja em um local assim, pois as pessoas da região podem conhecer o que tem de cultura por aqui.
O Sarau acabou sendo mais aconchegante, pois por conta dessa greve dos caminhoneiros, as pessoas que moravam mais longe não puderam ir. Veio quem morava pertinho!
A gente se apresentou, leu poesia e dançou. É sempre bom estar junto de um grupo tão maravilhoso! E sim, me sinto honrada em já fazer parte delas, das Mulheres Reais.
E nem lembro se contei aqui, mas participarei da antologia Construtoras do Bem, que será lançado lá na FLIP em Julho. Animada! =D
Seguem as fotos!


Tirando o sarau e a rotina que vocês sabem muito bem como é.
Estou naquele momento pós-formada e em busca de algum emprego, alguém que me assalarie nesta vida. Mas, olha, ou tá complicado mesmo ou eu não estou sabendo os locais certos para enviar currículo. Atentando-se ao detalhe de que eu tenho duas formações e tô literalmente atirando para tudo o que é lado.
Eu procurando emprego tô igual o Rambo com a metralhadora, tô metendo bala em geral. ahhaha
Vamos rir para não chora né?
Inclusive, nesses últimos tempos, sai uns dias para deixar currículo em algumas escolas, até porque descobrir que sou capaz de dar aula para as crianças, já que faço isso lá no centro. (Sinceramente, quando me formei em letras achei que não conseguiria.)
Nessa última semana, até fui chamada para uma entrevista. Porém, tem dia que a gente acha que tá com sorte, mas é azar mesmo. Fiz a entrevista e fui chamada para uma coisa que nem sou formada. Lê-se: É para dar aula no primeiro segmento, mas eu sou do segundo.
Sabe o ditado: Tem gente que nasceu para se foder, mas eu tô de parabéns? EU MESMA! EU TODINHA! RESUMO DA MINHA VIDA!
Tive que recusar a proposta alegando que não tinha formação para aquilo, não ia mesmo me sentir bem trabalhando em algo para o qual não estudei.
Provavelmente tem gente que vai me chamar de burra, que podia entrar sem problemas, mas, na boa, não ia me sentir bem, nem com a pessoa que me chamou e nem comigo mesma. Não seria justo comigo mesma!
E mudando um pouco de assunto...
Falando sobre essa minha vida de escritora. Bem, como disse antes, estou participando de uma das antologias das Mulheres Reais. Darei mais informações em breve!
Continuo a caminho de terminar o DEA.
Alias, estou escrevendo bem pouco nesses últimos tempos. Acho que estou escrevendo apenas para os blogs mesmo e alguns pequenos textos.
E aproveitei para mexer em algumas coisas do Contos Anê. Mexi nos layouts do Tumblr e do Blog.
Inclusive, está rolando sorteio lá no Instagram do Contos Anê.

Estou sem muito mais o que contar, a vida tem andado bem monótona.
E eu estou aqui na loucura, porque vou viajar amanhã e nem arrumei a minha mala ainda.
Aproveitarei a próxima postagem para contar dessa viagem. Por hoje, vou ficando por aqui.
Fiquem com um vídeo para o Ane-chan's - sobre plágio e um do Contos Anê - com minha entrevista no sarau do mês de Janeiro.
Até a próxima!
Beijos 1000!

Pequeno update da vida pessoal, Escritos

sábado, 28 de abril de 2018

Oie, pipous! Tudo bem?
Eu espero que bem. Perdoem-me novamente, pois sim, tem quase outro mês que eu não posto aqui.
Eu juro que eu estou mais enrolada que não sei o quê. Mas, sempre me pegava pensando nesse blog aqui desatualizado.
Dessa vez o problema não foi faculdade (até porque não tem mais), não foi algo de muito anormal. Foram as férias de "Mamain". Eu não sei o que acontece quando ela fica em casa e eu não consigo fazer nada das minhas coisas. Seja dos livros, do blog, e qualquer coisa. Sabe aquela história de que você tem que fazer tudo o que ela quer e na hora que ela quer? Pois é!
Ai, eu estou aqui, quase uma da manhã escrevendo o post, porque é a única que tá me sobrando, é a única hora que acabou o trabalho de casa e tá tudo quieto e eu consigo ter inspiração.
Admito que também estou enrolada com as minhas coisas por mim mesma. Quando posso fazer, não estou lá com vontade.
Porém, vamos mudar isso! I promisse, eu juro.
Na verdade, tem sido um tempo um pouco complicado e difícil, pelo menos enquanto estive ausente. Estou naquela época recém-formada, buscando emprego e claro, lindando, como devo ter dito no post anterior, com pressões vindas tanto de mim, quanto das pessoas a minha volta.
Mesmo parecendo estar parada ou de bobeira, a coisa que mais faço é fazer inscrição para processos seletivos e nada. Gente, não é possível!
Eu tenho realmente algo muito comprometedor na internet para ninguém querer me contratar?
Poxa, eu sei que isso acaba tendo algum peso, mas acho bobeira não contratar alguém só porque ela sei lá pelo que ela posta - coisa sobre seiyuus ou bobeiras, como eu - na internet. Só se fosse assim algo racista, homofóbico, preconceituoso, ai tudo bem. Porque isso diz e muito da pessoa. Mas compartilhar coisa divertida não tem nada demais.
E sabe, eu vivo com um eterno sentimento de fazer muita coisa e ao mesmo tempo não parecer estar fazendo nada.
É assim que eu me sinto toda a vez que mesmo após um dia em que escrevi um post, editei um vídeo, gravei outro, escreve um pouco do livro e vem meus pais e adoram esfregar na minha cara que “eu só fico sentada no computador o dia inteiro, sem fazer nada o dia todo”.
E sim, recaí aquela mesma história de que a solução de todos os meus problemas é fazer um concurso e estar milagrosamente trabalhando em seis meses. E eu sempre penso que vai ser em algo que eu não gosto. Como digo: As pessoas fazem isso pelos motivos errados. Talvez para ficar de corpo mole a vida inteira, ou ter a vida garantida. Vocês sabem mesmo que a única garantia é a que a gente vai morrer né? O que a gente faz no caminho é outra história.
Tem gente que vai rir, mas sim, tenho o sonho besta de ser uma autora famosa, pelo menos um pouco e sim, poder viver do que eu escrevo. Mas, o sucesso não vem de um dia para o outro. Não veio com o que aconteceu na Bienal de 2017 e nem vai vir tão rápido. Aquilo me colocou no holofote, mas me reduziu a apenas um evento de Bienal, o que é bem triste, admito.
Alias, como é possível eu nem ter vendido nada na Amazon com mais 5 mil pessoas falando sobre mim da noite para o dia? Sim, quero reforçar essa tecla, porque na minha cabeça não faz sentido, apenas isso. Se possível, eu vou é tomar um hate danado.
Eu quero sim ter meu trabalho para dar um pontapé inicial e não quer dizer que estou sem fazer nada enquanto isso. Quero ter sim minha renda própria para finalmente sair de casa e poder ter a minha e continuar daí.
Enfim, voltando a contar sobre a vida...
Estou fazendo apenas as coisas dos blogs, do centro, do canal. O namoro vai bem! Como o tempo que eu e Ique estamos juntos a gente briga por coisa bem besta e que em cinco minutos a gente tá tudo normal, como se nada tivesse acontecido.
Fora isso, na última semana, tem uma semana já, minha avó paterna – mais conhecida como Vó Zezé – faleceu. Ela estava internada com uma pneumonia grave que não deu sinal algum, só quando ela teve falta de ar. Ele teve água na pleura – que é uma bolsa que envolve o pulmão – e acabou sendo entubada. Ela chegou a ter melhora, mas como a pneumonia estava muito avançada e pela idade dela... Enfim... Vou ficar com saudade, pelo menos por enquanto. Porque sei que muito em breve iremos nos rever!
Sentirei saudades dela rindo, falando as merdas que falava (merda no sentido de besteira), quando me dava dinheiro para o presente na encolha no meu aniversário.
Os almoços de família não serão mais a mesma coisa. Ainda mais se forem na casa que sempre foram, que era a dela.
Eu não fui ao enterro porque que eu não quis. Nem sei quando será que terei que ir, gostaria de não poder ir nunca, mas um terei, com certeza. Porém, gosto de me lembrar da pessoa bem. Gosto de ter essa imagem na minha memória, não dela, sei lá, estirada num caixão.
Enfim, espero que esteja bem onde estiver, Vó Zezé!
Mudando de assunto, falando um pouco dos escritos e tal.
Bem, eu tenho escrito um pouco, mas abaixo do que considero aceitável.
Eu tenho apenas escrito para os blogs.
Comecei uma história curta, com uma das ideias doidas que surgem antes da hora de eu dormir. O nome por enquanto é Mãe de Aluguel. É de temática medieval, onde uma mulher tem filhos para famílias que não o podem. Sei que essa história funciona de forma melhor se for atual, mas quero escrever essa versão. Quem sabe escrevo essa outra depois!
E quanto ao DEA? Ainda estou para terminar. Coloquei a meta de pelo menos até o meio do ano. Até lá vai! Talvez seja porque escrevi muito no ano e quis dar um descanso para minha cabeça.
Sem muito mais o que falar, vou ficando por aqui hoje.
Peço perdão pela postagem sem foto nenhuma, porque não teve nenhum grande evento nesse mês que passou.
Fiquem com meu vídeo mais recente do canal, que fiz para o Seiyuu World Brasil, uma tag sobre Seiyuus.
Até a próxima!
Beijos 1000!

Finalmente entreguei tudo da Facul, Eventos, Cobranças próprias e externas, Escritos

quarta-feira, 28 de março de 2018

Oie, pessoal!
Eu sei que eu tô praticamente desaparecida daqui, mas calma, eu não me esqueci daqui, só tava era mesmo enrolada com algumas coisas. Sim, ainda da faculdade, mas já entreguei tudo. Amém!
Alias, acho que vocês já devem ter percebido nesses anos todos que eu sou a pessoa mais enrolada da vida né? haha Mas eu tenho um bom coração.
Começando que eu finalmente entrei toda a papelada que faltava da faculdade. Alias, me pego pensando sempre de ser estranho usarmos tantos papel mesmo na época em que estamos.
Enfim, passei umas duas semanas direto reorganizando meu TCC, formatando tudo, relendo, corrigindo coisa. E claro, também fazendo os benditos relatórios das horas complementares. A minha sorte que eu tenho mania de pegar folder/flyer/ingresso de tudo o que eu vou. Ou seja, sobrou e eu podia escolher o que usar. Sobrou bastante coisa e sabe o que eu fiz? Dei pro pessoal que ainda está estudando para eles usarem. Nunca é demais!
Mandei fazer aquele bendita brochura que foi deliciosos 50 reais, meu bolso desempregado deu uma leve chorada, mas o que não fazemos pelo filho TCC, não é mesmo?
Vou trabalhoso fazer, mas não difícil de entregar. Mostrei ao professor num dia, ele assinou tudo, pegou meu TCC e só fui entregar o relatório das atividades na segunda seguinte. Eu levei mais de uma hora e meia para isso. Como sistema novo, a faculdade tá demorando e muito no atendimento. O lugar cheio e as pessoas desesperadas acabam pegando dois números diferentes e atrasa tudo ainda mais. Digo novamente: Eu me formei na hora certa!


E claro, também tenho aumentado a minha participação no meio literário daqui de onde moro.
Fui novamente ao Sarau das Mulheres Reais. Em Fevereiro - que foi pouco depois do último post - e em Março - que foi nesta segunda agora.
O de Março também foi o lançamento da antologia Bem Comum. Esta foi a terceira antologia lançada pelo Mulheres Reais e tem mais duas a caminho, sendo uma para breve e outra para a FLIP/Bienal de São Paulo.
Ainda vou participar de uma, o mais breve possível.
Alias, o Sarau de segunda tava lotado. A gente não tava cabendo na biblioteca, o que é maravilhoso, tirando só o calor que a gente passou. Segue as fotos!



E na última terça teve o estudo de Páscoa lá na Evangelização Infantil. Teve no último sábado com o último sábado com a turma de sábado. Mas, como de terça tem sido mais cheio foi algo até maior.
Montei o projetor do lado de fora com o filme de Páscoa da Era do Gelo. Um filme curtinho, com tempo suficiente para as crianças curtirem e não ficarem entediadas. (Porque quem lida com criança sabe que é difícil elas ficarem meia hora sentadas, você imagine uma hora.)
Enfim, eles amaram o filme. Depois cantamos algumas músicas e fizemos a caça aos ovos. De papel, mas vale a intenção. haha
Claro que explicamos que a Páscoa vai muito além do chocolate e claro, de Jesus também. (Tem a parte dele, mas tem bem mais coisas nos símbolos e etc.)
Seguem as fotos!


E bem, abrindo uma pequena sessão desabafo aqui agora.
Bem, eu terminei a faculdade e não tem mais o estágio, porque eu o fazia justamente por ser aluna ainda, como não sou mais né, fica óbvia a razão.
Começam novamente as cobranças para fazer algo, tanto minhas quanto do que estão a minha volta. Aquela de: E agora, vai fazer o quê?
Porque as pessoas não podem te ver em casa sem "fazer nada". Colocando entre aspas só pela quantidade de coisas que administro e que considero sim um trabalho, só que isso não me dá retorno financeiro. Mas sim, me sinto feliz de estar fazendo essas coisas. Meus canais - Ane-chan's e o Contos Anê; os Blogs - esse, o Shizen e o Seiyuu World; Meus livros. Tantas coisas que eu faço. Isso é "nada"?
Claro que estou atrás de um trabalho que me remunere, especialmente em alguma das duas áreas que eu me formei. Porém, o Rio tá foda. Foi a única cidade que ainda não se estabilizou. Ou seja, eu acertei na loteria da vida de novo.
Se não está fácil para mim, que terminou a segunda faculdade, imagina para quem tem o ensino médio só. São tempos difíceis, mas sei que uma hora eles vão passar.
O que eu mais quero é poder ter um trabalho e um salário para chamar de meu, para eu sair da dependência e finalmente poder conquistar ainda mais coisas por mim mesma e para mim mesma.
Meus livros são sim uma enorme conquista para mim, contudo, eles vão levar ainda um tempo para poder me dar algum retorno financeiro, pelo menos decente. O que importa é que estou andando com isso também, mesmo que para alguns não pareça nada, para mim é tudo. Como digo várias vezes: Não me vejo não sendo escritora!
Enquanto isso vou fazendo inscrições para vagas online, vendo concursos públicos - que é a coisa que menos quero fazer, mas do jeito que a coisa anda - e divulgando os serviços freelancer. Uma hora vem, assim como veio o estágio, a bienal, as antologias, os livros e foi tudo muito engradecedor para mim.
Enquanto isso, levo um dia de cada vez, mesmo que uma cobrança dobrada sob meus ombros.
Mudando um pouco agora para os escritos né? Vamos falar de coisas boas!
Uma delas é que não terminei o DEA ainda. Não sei que preguiça me abateu e eu simplesmente não pego para terminar. Faltando uns dois capítulos e meio. Eu falei que ia terminar em Janeiro e já estamos indo para Abril. Alguém me dá um tapa para eu acordar e para de procrastinar. HELP!
E claro, estou fazendo a one do mês lá do Café com Letra. Dessa vez o tema é chuva. Eu quem sugeri, igual do mês passado. haha Enfim, como uma haruhísta digna e fiel, o nome do conto é: Algum dia... na chuva. Terei que correr para terminar antes do dia 31, mas dá tempo sim.
Alias, a do mês passado já está postada, vocês podem ler aqui.
E tem a capa da desse mês também, que ficou a coisa mais lindo, ainda mais com esse efeito ondulado na foto.

Enfim, sem muito mais o que contar, vou ficar por aqui hoje. Perdoem-me a demora para aparecer. Podem me acompanhar nas outras redes e até no Shizen, que eu apareço mais lá. Aqui é mais diário mesmo né? Só uso para desabafar e fazer registro de algumas coisas, mas ainda sim gosto de vir aqui, nem que seja uma vez ou duas por mês.
Fiquem com os vídeos novinhos do Contos Anê.
Beijos 1000!


Férias, Cobranças, Viagem a Paraty

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Oie, genteney!
Engraçado que agora que tô mais de boa, eu me enrolei toda para vir postar para vocês. Ainda bem que não aconteceu tanta coisa legal!
Estou aproveitando mesmo é para escrever, ver anime, séries, ler. Essas coisas!
O tempo tá passando bem devagar que nem parece que tem quase um mês que foi a última que postei aqui. haha
Enfim, junto com as férias e com o final da faculdade - só faltando entregar as últimas coisas aqui - começa novamente aquela cobrança para fazer alguma coisa e dessa vez é concurso público.
Não lembro se disse aqui, mas isso é a coisa que menos quero fazer na minha vida. Odeio prova, odeio pressão, odeio essas coisas. Só que do jeito que o Brasil tá uma bosta completa, o melhor é fazer concurso mesmo.
Mas, eu realmente queria começar a trabalhar com alguma coisa, consegui meus primeiros salários e vou estudando para concurso. Eu não quero perder mais tempo e começar a trabalhar mais velha ainda. Alias, eu ainda acho que estou velha para isso. Ainda bem que tenho algumas experiências de estágio, você imagina se eu tivesse zero experiência? Ai que ia estar ferrada!
E sabe um outro sentimento que eu tenho? De que meu currículo não é bom o suficiente! Porque olha... É tanta vaga que me inscrevo, é tanto currículo que eu mando e nada. Sério? Duas faculdades nas costas e nada. Vou sentar ali no cantinho um pouquinho e chorar.
*A FEW MOMENTS LATER*
Agora sim, de volta. Vou contar umas coisas legais que aconteceram nesse meio tempo.
Primeiro, que lá no final de Janeiro, dia 31 exatamente, eu participei de um sarau: o das Mulheres Reais. Fui a convite da Janaina, que é amiga da minha prima Andressa e escritora também.
Acabou que eu dei uma entrevista lá, falando um pouco sobre minha breve trajetória como autora, falando dos meus livros também. Foi bem legal! (Ainda vou pegar a minha parte do vídeo e cortar.)


E como teve o carnaval nessa última semana, claro que eu fui viajar. Passei 23 anos sem viajar em carnaval. Deve ser por isso que eu não gosto muito!
Enfim, desta vez fomos a Paraty. Umas 4 a 5 horas de viagem para uma região de praia. Mas, a gente não acabou fugindo tanto assim da folia não.
Paraty é uma cidade um pouco cara, então a gente acabou ficando num chalé que ficava a uns 15 km da cidade. Era um local mais afastado e mais tranquilo. Então, em 20 minutos a gente tava lá. Sem contar de várias praias por perto também. E claro, tinha cachoeira também.
A gente aproveitou bastante a cidade e as praia. Conseguimos ir em uma que era bem tranquila e deu para pegar um bronzeado. haha
Vimos alguns blocos e shows que estavam acontecendo na cidade durante a noite. Fomos ao centro histórico, com aquelas pedras que são daquelas ruas desde a época do império. (E como é ruim de andar ali, mas é pelo apreço histórico mesmo.)
E também passeamos de escuna. E foi bem melhor do que das outras vezes, porque foi com pouca gente e as pessoas eram bem legais. Se tinha 30 pessoas era muito. Já fui em escuna com mais de 60 pessoas. Passamos o dia tomando banho de mar e comendo. haha Como que meu cabelo sobreviveu? Numa base infinita de creme apenas.
A ida e a volta que foram sofridas, a gente pegou engarrafamento na ida e na volta. Por conta disso, acabei lendo metade de um livro na volta. Levei o computador para escrever e bem, eu só fiz um roteiro. haha Tá osso!
Seguem as fotos!



 


E por falar em escrita...
Lembra que eu disse que ia terminar o DEA até o final do mês?
Pois é, nem terminei! Acabei me enrolando sozinha, com coisa de vídeo, blog, conto e claro, a bendita preguiça. Sempre ela!
Só que não significa que eu não escrevi nada. Eu cheguei a terminar um capítulo e estou no final do segundo. Praticamente a metade, levando em conta que era quatro que faltavam.
Enfim, estou escrevendo também meu segundo yaoi da vida, que eu chamei de "O meu (ex) melhor amigo é o meu amor?". Como o tema do Café com Letra do mês é sobre vida escolar, por que não né? haha
Final do mês passado, eu postei a one de amigo oculto, que virou uma crônica inception louca que dá para ler aqui.
Sem muito mais o que falar, eu vou ficando por aqui hoje. Post curto e super atrasado. Desculpa!
Vou deixar um vídeo recente que fiz no canal: #MyGameMyName.
Beijos 1000!

Contando sobre o Natal, Ano Novo e as Férias

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Oie, povo! Tudo de boas?
Cá estou eu, escrevendo para vocês no meio de um temporal de verão, porque ele está ai, nos matando de calor e em certos dias, roubando nossa luz por breves horas. E horas essas em que suplicamos para a luz voltar, já que é impossível ficar um milissegundo que seja sem ventilador ou ar condicionado.
Enfim, faz exatamente um mês que o estágio terminou e foi o mês mais parado dos últimos tempos, tô aproveitando para ver todas as coisas que nos meses anteriores eu nem conseguia pensar em assistir. Por razão disso, estou com várias séries acumuladas. Haha Melhor acumuladas do que não assistidas, não é mesmo?
Estou devendo falar do Natal e do Ano Novo. Eles nem foram lá grandes coisa! No Natal, minha mãe acabou indo para o hospital por conta de uma forte reação alérgica a um remédio novo que ela estava tomando por causa do joelho.  Até iria passar o natal com meu namorado, mas com ela daquele jeito no hospital não teve como. Foi meio chato ter que desmarcar em cima da hora, mas é a vida né? Só não foi o pior da natal da vida, porque teve um que marcou a minha primeira menstruação... E isso é insuperável!
Passei a virada do Natal na casa da minha Tia Carla, comemos antes da meia noite mesmo e quando tava dando uma da manhã, eu já estava capotando de sono – com o tédio – e fui para casa. Mas em casa, eu fui ver série com meu irmão até três da manhã.
Só fomos abrir presentes de Natal lá no dia 26, que foi quando a minha mãe teve alta e voltou para casa. Ou “seje”, Papai e Mamãe Noel só passaram depois. Na hora de abrir os presentes, especificamente do meu Pai, ele me deu uma bermuda de grávida. Por mais surreal que pareça. (Eu agradeci de já ter ficado menstruada.) E cara, a bermuda era muito feia. Ainda bem que eu troquei, deu para trocar por umas três “bruxinhas”. Sem contar que ele me comprou uma blusa escrita: Mommy to be. E ele só comprou porque era da Minnie. Alguém ensina meu pai a comprar presente, ele nunca acerta de presente comigo.
Foto da árvore de Natal feat. Presentes...


O ano novo também foi lá essas coisas. Fomos para a minha vó paterna, ficamos um pouco lá, ela ainda está se recuperando das quedas que foram perto do meu aniversário. Ela caiu duas vezes e quebrou a clavícula e fissurou uma costela. Mas, ela está melhorando já! Só tá de molho na cama por um tempo, tendo que ser auxiliada para tudo praticamente.
A virada da meia-noite foi sem fogos na TV, que eu acho a maior decadência, não teve contagem regressiva também, só virou, nos abraçamos – isso ainda na minha vó – e vimos os fogos na rua. Apenas isso!
Depois, fomos para a Tia Carla e ficamos por lá um tempo, vendo o bendito Show da Virada. Pelo menos,  entrei em 2018 com um salto vermelho poderoso. Só não tirei foto do look. Haha


Na primeira semana do ano, fomos a casa da minha prima Andressa para a ceia atrasada de tudo. Até vinho e champanhe eu bebi, extrapolando a cota do ano já. Não só lá de beber assim, mas até que tava gostoso. Haha Fotinha da família reunida!


Bem, agora eu estou aproveitando um pouco das férias. Pensando agora, com o final da faculdade, faltando apenas ajeitar as últimas coisas para entregar, no que farei na vida. Tipo, conquistar logo essa independência, com meu emprego e meu dinheiro. Conseguir passar em um concurso público, só precisa estudar.
Este mês, também estou na pior procrastinação da vida. Quero terminar o DEA e escrevi apenas um dos quatro capítulos que faltam e hoje já é dia 22. Haha Gente, pode voltar pro ritmo do NaNo não? Haha
Estou sem muito mais o que contar, fora o que já escrevi aqui. Tentarei voltar o mais breve possível e lhes informo melhor sobre o eu escritora.
Vou ficando por aqui. Até a próxima!

Beijos 1000!